Trabalho árduo, calos, cortes, talhos, mesmo com cuidado, trabalho bruto…

Tem idade certa pra construir?

Não sei, uma coisa é certa, eu tenho 33 anos, (2020) e sem modéstia, um físico acostumado as pancadarias de construção e atividades manuais como plantar, fazer buracos, cortar madeira, etc, e vos digo; construir barcos é algo extremamente exigente e exaustivo.

Que o cansaço não se torne um fardo, quando tiver de saco cheio da construção, para, respira, lembra que é um privilégio, e é, e volte a trabalhar.

Construimos nossa casa no meio do mato com gerador, motoserra e outros equipos essenciais, e foi um duro trabalho e ótima lição, quse que um preparatório pra construção de barcos. rs

Em um dos descansos comecei a pensar sobre comodidades, sobre comprar barcos prontos e essas coisas. Penso muito sobre o feitishismo do mundo da vela, mas isso vai ser artigo especifico, especial e em breve. Logo veio uma reflexão sobre capacidade física e construção.

Corte a laser de compensados, e ferramentas modernas facilitam muito o serviço, de qualquer sorte, imagino eu, que o pós momentum disso tudo é pancada também. Construir não é fácil. Prensar, amarrar, parafusar, amarrar…o barco é feito de torturas e pressões. Existem diversas correntes de pensamento sobre isso, também é válido para um outro artigo e reflexão – por pressão nas longarinas? ou não por tanta pressão e usar a forma apenas.

Por que diacho eu trouxe esse pensamento? Porque observo que maior parte dos velejadores é de um senhorio. Nunca fiz estudo, seria bom fazer, portais grandes como #hashtagsal poderia fazê-lo. Mas o que se observa são pessoas com mais idade em seus barcos. Raros os jovens que tem seus barcos, os que tem, ou foram doados pelos pais, ou são seus, mas os mesmos são abastados e possuem condição financeira de comprar um veleiro e “desbravar o mundo”; como Katoosh e outros…

Raros exemplos de jovens/ adultos classe mérdia brasileira que possuem barcos robustos. Vejo guerreiros entre 30-40 que conseguiram após muito esforço ao capital, juntar moedas e comprar seu veleiro entre 16-26 pés….vinte poucos pés…porque? Porque veleiro pronto é caro. Infelizmente ainda temos a cultura da vela elitizada. Queria ver o dia em que os programas de vela e os canais não falassem tão somente da água cristalina, da qualidade dos piscineiros, ou das paisagens abundantemente belas, mas que se preoupasse um pouco com o contexto socio ecônomico da região, país onde vivem.

Um Brasil de rica cultura vélica, mas desconhecida, que fora delegada a uma classe burguesa que possui acesso a esses bens super valorizados; ou uma classe operária que com muita luta, muito esforço, muita vida, consegue comprar um barco. E o que eu tenho com tudo isso? Eu sou apenas um rapaz latino americano, sem dinheiro no bolso, que quer demonstrar que ainda é possível velejar, mais novo, com, menos idade, poder usufruir de seu potencial físico tanto para construir, ou para velejar, manusear e usufruir dessa mesma natureza tao produtificada que vemos aí. Eu sei que pareço um jovem chato, que as ideias são meio desconexas, ams no fim fazem sentido. Esse é o meu estilo. Inevitável.

Dai me pergunto, e te pergunto, mais vale um veleiro menos e poder desfrutar o mundo da vela mais cedo, e curtir com mais vigor, poder levantar ancora, subir vela, pescar peixe, sem tanta dor na lombar no final da velejada? Ou é melhor trabalhar que nem um asno, pra juntar dinheiro, pagar marina, gastar uma puta grana pra ostentar uma coisa que no final, você nem vai usar tanto. Ou viver esse “lifestyle”e começar a ganhar grana com a mercadologia e feitishismo da vela idem a tantos canais que vemos inundando o insta, face, youtube. etc. e que viram escravos dessa roda gigante de produção, quase como se trabalhassem na mesma empresa que falam em seus posts que vivem essa “nova vida”alienados a alimentar timelines com mais do mesmo.

Quase respondendo….não tem idade certa pra construir, mas quanto antes puder velejar e curtir , melhor. Não!?

Depois continuo…..

A foto acima, feita pela patroa  Naia Sosa, mostra o detalhe de um cara, eu, em cima da longarina, no casco invertido do barco, pra parafusar, peso pra fazer pressão. Pergunto se com 60 eu ia ter esse gás……espero que sim. Penso que o tio de Minessota que fez o Bijou, deva ter tido muita tecnologia e assessoria para construir aos 75 anos o Sztrandus.